Brigas no casamento – Como lidar com isso?

Casamento é um desafio. É uma relação de duas pessoas diferentes. Diferentes quanto ao temperamento, famílias de origem com suas características diferentes, diferentes quanto a determinados gostos, etc. Parece ser importante haver o seguinte, para um casamento seguir bem:

  • Respeito
  • Confiança
  • Paciência
  • Lealdade
  • Honestidade
  • Comunicação
  • Manutenção da individualidade (um não anular a sua pessoa para agradar o outro)
  • Descontração
  • Sexualidade de comum acordo
  • Lazer
  • Espiritualidade

Quando surgm brigas (e em todos os casamentos surgir brigas vez ou outra é normal) que geram raiva, é importante aprender a lidar corretamente com ela. Se você a suprime, ou seja, joga-a para dentro de si mesma, você adoece. Se transfere, por exemplo, para os filhos, isso causará lesões psicológicas neles e piorará. Um caminho é dirigir a raiva para o objeto, para o fato e não para a pessoa. Exemplo: se seu marido fez algo que a desgostou, ao invés de lhe dizer “Você é um desastrado!”, o que estará atacando a pessoa dele, você pode dizer-lhe: “Quando você teve aquela atitude (atitude qual), fiquei me sentindo muito triste e desanimada, porque pareceu-me que você não ligou para a família.” Veja que nesse exemplo você está desabafando, está falando daquilo que não deve ser jogado para dentro de si, mas não está atacando a pessoa. Desse modo sua raiva pode ser expressada sem ferir o outro e, por isso, pode ser aceita, tanto por você quanto pela outra pessoa.

Quando surgem brigas num casamento, sempre é bom lembrar que há as brigas produtivas e as improdutivas. Aquelas que são improdutivas nunca levam a conclusão alguma. Ambos terminam se agredindo, verbal e/ou fisicamente, não se consegue ouvir de verdade o que o outro tem a dizer. Ao passo que numa briga construtiva, quando ela termina, há alguma conclusão prática, por exemplo: o marido decide que irá pegar as crianças na escola, a mulher irá fazer as compras, irão dividir o orçamento do casal de maneira mais equilibrada, etc. Há acordos feitos após os momentos de tensão. E são acordos bons para todos. Não há desespero, nem ataques pessoais.

Então o que fazer?

Todo homem, por mais grosso e ignorante que ele possa parecer, também tem sentimentos. Talvez pela raiva ou calor do momento ele acaba criando uma situação crítica e acaba falando coisas que machucam muito a mulher. Por outro lado, acredito que a mulher, por ser mais serena, não deve perder o controle da situação a entrar nessa discussão de baixo nível.

Na maioria das vezes o homem se arrepende dos exageros cometidos, mas não é capaz de pedir desculpas e reconhecer para parceira os exageros cometidos.

Tente conversar sobre esse atrito em um segundo momento. Tanto ele e você deve se acalmar antes de conversar sobre assuntos delicados. Lembre-se que você não vai resolver nada se uma das partes estiver exaltada.

Antes de pensar em atitudes drásticas pense na sua família, em seus filhos, pense em você.

Matérias relacionadas