Produto alisante usado em tratamentos capilares pode causar câncer

Quer ter o cabelo sempre arrumado e liso? Há muitas formas hoje em dia e a mais comum e que está fazendo a cabeça da mulherada é a escova progressiva. Mas alisar o cabelo pode não ser uma boa solução em termos de saúde.

O formol — usado ilegalmente no Brasil como alisante em escovas progressivas e outros tratamentos capilares — é cancerígeno. Ou seja, é capaz de alterar as células e levar à formação de tumores, principalmente nas vias respiratórias (áreas da garganta e nariz). O alerta foi feito ontem pelo FDA, órgão americano que regulamenta remédios e alimentos.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), clientes e cabeleireiros que usam formol correm risco de desenvolver a doença. “O câncer precisa de um agente indutor e o formol é comprovadamente cancerígeno. A principal via de absorção é através da respiração”, explica Ubirani Otero, chefe da área de câncer ocupacional do Inca.

De acordo com ela, alguém que se submete ao alisamento com formol uma vez pode desenvolver este tipo de câncer até 20 anos depois. “Depende de diversos fatores, como a frequência de exposição, a intensidade e a suscetibilidade de cada um”, diz, acrescentando que há evidências de câncer de nasofaringe por uso de formol, além de estudos que relacionam a substância a tumores de pulmão e leucemias.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso do formol é permitido em cosméticos como conservante, na concentração de 0,2% — cerca de 4 gotas em cada 100 ml de cosmético. “Mas cabeleireiros adicionam formol em produtos prontos. E ninguém, nem eles, têm controle da quantidade colocada. Certamente é muito maior do que a permitida, que não é capaz de alisar”, diz Érica França, especialista em cosméticos da Anvisa. A informação é confirmada por cabelereiros. “Eu colocava uma tampinha (de álcool) de formol em cada 100 ml. Menos que isso não alisa o cabelo”, afirma uma profissional.

Fonte: O Dia

Matérias relacionadas