Suor excessivo? Saiba as causas, sintomas e diagnóstico da HIPERIDROSE

Quando a temperatura interna do organismo sobe, os centros cerebrais responsáveis pelo equilíbrio térmico detectam esse aumento, fazem a pessoa suar e a evaporação da água que se formou na pele alivia a sensação de calor.

O controle da sudorese é involuntário e determinado pelo sistema nervoso autônomo, aquele responsável pelas batidas do coração, pelo ritmo respiratório e por outras funções que exercemos sem nos dar conta de que estão sendo realizadas.

Mas em algumas pessoas a sudorese se manifesta de forma excessiva que chega a interferir em seu convívio social, quando isso ocorre podemos dizer que essa pessoa tem hiperidrose.


Sobre as causas da hiperidrose

Como existem pessoas que, quando estressadas, têm dor de estômago, dor de cabeça, hipertensão e algumas chegam a enfartar e até a morrer, há um grupo que em resposta ao estresse sua muito. Em mais da metade desses pacientes (56%), foi encontrado um parente de primeiro grau (pai, mãe, filho, irmão) ou de segundo grau com o mesmo tipo de resposta ao estresse. A hiperidrose, portanto, tem características genéticas que se manifestam em determinadas famílias. (Dr. José Ribas Milanez).

Sintomas

São as mãos sempre molhadas, cumprimentar alguém ou fazer um carinho na namorada podem provocar sensação desagradável tanto em quem faz quanto em quem recebe o gesto de afeto ou cordialidade.

Outras vezes, o problema se manifesta nas axilas e não há elegância que resista à roupa com marcas de suor debaixo dos braços. A hiperidrose pode ocorrer também com freqüência nos pés e no rosto. Neste último caso, diante de mínimo estresse social, a pessoa fica ruborizada e sua muito, o que pode ser fonte de inúmeros constrangimentos. (Dr. José Ribas Milanez).

Diagnóstico

Como diferenciar quando uma pessoa possui hiperidrose ou apenas sua muito?

No estudo que estamos realizando, entrevistamos aproximadamente 2.500 pacientes com esse tipo de queixa. Desses 2.500, foram selecionados 600 para tratamento cirúrgico. Os outros 1.900 têm queixas como suor excessivo em outras partes do corpo provocado por alterações hormonais, obesidade, alto grau de ansiedade ou, ainda, por outras patologias associadas, mas não são casos tão graves. Várias dessas pessoas, desde que bem orientadas, acabam não precisando de tratamento cirúrgico. Nem todo o mundo que apresenta sintomas parecidos com os da hiperidrose precisa ser operado. Se fizermos as contas, apenas entre 30% e 35% das pessoas entrevistadas são encaminhadas para a cirurgia. (Dr. José Ribas Milanez).

Para saber mais sobre os casos mais graves e os procedimentos cirúrgicos acesse o site e veja a matéria completa: www.drauziovarella.com.br. (entrevista com Dr. José Ribas Milanez, cirurgião do grupo de tórax do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Hospital Albert Einstein).

Matérias relacionadas