Você possui ciclo menstrual saudável? Veja alguns distúrbios menstruais

Os distúrbios menstruais são problemas que freqüentemente preocupam as mulheres. O sangramento uterino anormal, ou excessivo, é uma de suas formas, que pode ocorrer por aumento da quantidade, freqüência ou duração do ciclo menstrual. São várias as causas que podem levar ao sangramento uterino anormal, e essas devem ser diagnosticadas para a realização de um tratamento eficaz.

Desde a puberdade até a menopausa, a menstruação faz parte da agenda fisiológica da mulher. O sangramento uterino mensal representa o desfecho de um ciclo, cujo objetivo é assegurar a reprodução da espécie.

A cada mês, sob a influência de diversos hormônios, um óvulo é exposto para ser fecundado e, simultaneamente, o interior do útero é preparado para receber, abrigar e nutrir o futuro embrião. Não havendo fecundação (gravidez), todo esse preparativo é desfeito e ocorre a descamação do endométrio, originando a menstruação e inicia-se um novo ciclo.

Dentre os distúrbios menstruais mais freqüentes encontra-se o sangramento uterino anormal, uma queixa comum nos consultórios de ginecologia, acometendo mulheres de todas as faixas etárias, desde a adolescência até a perimenopausa.

O sangramento uterino anormal é uma alteração do padrão menstrual normal, é um sintoma e não um diagnóstico, por isso, o estabelecimento de sua causa específica permitirá o tratamento adequado.

Os padrões normais do ciclo menstrual quanto à quantidade, duração e freqüência são:

• Quantidade: perda sanguínea em torno de 40 ml (25 a 70 ml).
• Duração do fluxo: 2 a 7 dias.
• Freqüência dos fluxos: entre 21 a 35 dias.

Sangramento uterino anormal é aquele que apresenta uma alteração em um ou mais desses três parâmetros, ou seja, um sangramento excessivo em duração, freqüência ou quantidade. Com relação a este último parâmetro, não existe uma maneira prática e objetiva capaz de medir a quantidade de sangue eliminado, porém, se o sangue menstrual forma coágulos, provavelmente a perda é maior que o normal e quanto mais coágulos maior a perda.

Os padrões anormais de sangramento são:

• Polimenorréia: freqüência igual ou menor a 21 dias.
• Oligomenorréia: freqüência igual ou maior que 35 dias
• Hipomenorréia: fluxo escasso
• Menorragia/hipermenorréia: volume superior a 80 ml ou sangramento superior a 7 dias com intervalos regulares.
• Metrorragia: sangramento com intervalos irregulares, mas freqüentes, com volume e duração variáveis.
• Menometrorragia: sangramento prolongado ocorrendo a intervalos irregulares.
• Sangramento intermenstrual: sangramento entre ciclos regulares.

Mas mais significativo que ter um sangramento fora dos padrões normais, é a mudança no padrão próprio de cada mulher, pois usualmente a mulher apresenta um mesmo padrão menstrual durante toda a vida reprodutiva.

O tratamento irá variar com o tipo e a causa do sangramento uterino anormal. Nos casos em que uma doença orgânica é a causa do distúrbio menstrual, essa deverá ser tratada de modo específico.

O objetivo principal, no sangramento uterino disfuncional, é restaurar o controle natural hormonal sobre o tecido endometrial. Na grande maioria dos casos o tratamento conservador hormonal é suficiente. O tratamento cirúrgico é a segunda opção, em caso de falha ou progressão do sangramento uterino disfuncional.

No sangramento uterino disfuncional ovulatório a paciente necessita apenas de esclarecimento. Se, entretanto, os ciclos forem muito curtos, a ponto de incomodar a mulher, ou a perda sangüínea for abundante ou prolongada, justifica-se um tratamento hormonal. Nestas eventualidades, uma simples complementação com um progestogênio na segunda metade do ciclo, um esquema cíclico de estrogênio e progestogênio, ou um anticoncepcional oral resolverão o problema.

Veja alguns problemas de saúde que podem causar irregularidades na menstruação:

Amenorréia

Amenorréia significa ausência de menstruação por pelo menos três ciclos consecutivos. Geralmente é dividida em duas categorias: primária (onde a menina sequer começou a menstruar) e secundária (onde a menstruação, anteriormente regular, se torna atrasada ou simplesmente desaparece). Procure seu médico se apresentar ausência de menstruação, para saber as possíveis causas.

Dismenorréia
Também conhecida como cólica menstrual, é uma dor pélvica que ocorre antes ou durante o período menstrual, que afeta cerca de 50% das mulheres em idade fértil. Pode ser primária ou secundária, dependendo da existência ou não de alterações estruturais do aparelho reprodutivo.

  • dismenorréia primária é aquela que ocorre sem que haja lesões nos órgãos pélvicos. Geralmente, ocorre nos ciclos menstruais normais e logo após as primeiras menstruações na adolescência, podendo cessar ou reduzir significativamente quando a mulher atinge a faixa dos 20 e poucos anos. Em alguns casos isso só ocorre após a gravidez. É causada pelo aumento da produção de prostaglandinas pelo útero, que provocam contrações uterinas dolorosas.
  • dismenorréia secundária está relacionada a alterações do sistema reprodutivo, que podem ser endometriose, miomas uterinos,infecção, anormalidades na anatomia do útero ou da vagina de origem congênita. Outra causa da dismenorréia secundária é o uso dedispositivo intra-uterino (DIU) como método anticoncepcional. Geralmente começam a surgir dois anos depois da menarca.

Oligomenorréia
É o nome dado a mesntruação irregular ou com com freqüência anormal. Não é uma doença, mas o indício que de que algo pode estar errado com sua saúde. É fundamental ir ao médico para se certificar de que está tudo bem.

Fibrose uterina

São tumores benignos formados por tecido muscular e conjuntivo que se desenvolvem dentro da parede uterina ou estão ligados a ela, o tumor fibróide pode ser microscópico, mas também pode crescer e encher a cavidade uterina, pesando diversos quilos. A fibrose uterina é o mais comum dos tumores pélvicos, e pode estar presente em 15 a 20% das mulheres em idade fértil, e em 30 a 40% das mulheres com mais de 30 anos. A ocorrência de fibros e é 3 a 9 vezes mais freqüente em mulheres negras que em brancas. Medicamentos podem geralmente aliviar muitos dos sintomas da fibrose uterina, como a dor, e podem até diminuir ou parar seu crescimento. Há vários tipos de cirurgias para remover a fibrose uterina.

Endometriose
É uma doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e que consiste na presença de endométrio em locais fora do útero. O endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade.As dores podem ocorrer antes ou durante o período mestrual. Ela surge de repente, trazendo transtorno fisico,pisquiquico e social para a paciente.

fontes: boasaude.uol.com.br, adam.sertaoggi.com.br, pt.wikipedia.org

Matérias relacionadas