Você tem ou namora alguém com aversão a compromisso?

Namorofobia é o nome que o terapeuta Sérgio Savian dá para pessoas que não querem ou não conseguem manter um compromisso sério com alguém. Um exemplo é quando ocorre términos de namoro repentinos e a outra pessoa como não estava esperando tem uma queda de auto estima e fica com um certo trauma de se envolver novamente.

Segundo o especialista, namorofobia é uma aversão ao compromisso no relacionamento amoroso que tem, origem em traumas antigos (términos repentinos, traição, divórcio conturbado dos pais, por exemplo). Não é uma questão de escolha nem uma desculpa de quem não está a fim “no momento” ou não se sente capaz de conquistar alguém.

O medo de enfrentar conflitos naturais é comum entre os namorofóbicos. O receio de perder a individualidade e “deixar de ser você mesmo” ou de, após todo o investimento sentimental e de tempo, a relação não dar certo é motivo para evitar o compromisso mesmo quando se está apaixonado e é correspondido.

Há pessoas que encaram o fim do relacionamento como um fracasso e não querem se arriscar a passar por isso de novo. E ficam com medo de sofrer novamente ou fazer o outro sofrer.

A verdade é que só se aprende a namorar namorando. E não se pode se basear numa relação anterior achando que o que deu certo antes vai da certo nessa relação agora, cada relacionamento é diferente, os sentimentos são diferentes, as pessoas envolvidas são diferentes, cada experiência é única, por exemplo, o que deu certo no passado pode ser um motivo de briga agora e vice-versa. Um namorado pode amar receber inúmeros telefonemas e mensagens ao dia, o outro pode até terminar por isso. Para dar certo é preciso que cada um aprenda a lidar com os conflitos que forem aparecendo e conheça um ao outro para descobrirem o melhor dos dois juntos, no que dão certo, do que gostam, o que querem, enfim, é preciso estarem dispostos a encarar o lado bom e o ruim se aparecer.

Um namorofóbico e quem se apaixona por ele sofre também, todos saem perdendo com tantas idas e vindas.

Mas não vamos achar agora que todos que não querem compromisso são namorofóbicos, verdade seja dita, muitas vezes o paquera que jura ter problemas sérios em se relacionar para valer, apenas não está tão a fim assim de assumir a ficante do momento. Um namorofóbico deve procurar ajuda quando este quer namorar e não consegue por receio de sofrer. A terapia é recomendada quando existe o incômodo, um medo absurdo de ser dominado e de sofrer, diz o terapeuta.

Mas fiquem atentos, um cara ou uma menina pode está afim de você mas não quer um relacionamento sério, não quer dizer que eles sejam namorofóbicos.

Fonte: com informações de Revista Gloss

Matérias relacionadas